Calmaria.jpg

Calmaria

de Catapreta

(BRA, 2018, 16 anos, 24’)

O filme busca o dialogo com a ancestralidade e com a vida do jovem negro urbano contemporâneo. A narrativa é poética e propõe desnudar, de forma direta ou às vezes por meio de metáforas, o racismo estrutural endêmico à sociedade brasileira. Trata-se de um recorte da trajetória de um jovem, seu filho e do que resta de sua família, personagens negros que representam brasileiros historicamente vitimizados por abordagens policiais violentas, encarceramento em massa, restrições veladas a direitos civis e situação socioeconômica precária, contextualizados em uma situação ficcional de guerra civil e êxodo urbano.

LIBRAS

 

LSE

 

AUDIODESCRIÇÃO